Políticas Sociais de Maceió debate ações para promoção da igualdade racial

Sede do Quilombo Real reúne obras sobre a cultura negra

A Assessoria de Políticas Sociais da Prefeitura de Maceió promoveu, ao longo da semana, diversos encontros e discussões voltados para a promoção da igualdade racial na capital. Uma das principais pautas foi a formação do Conselho Municipal de Igualdade Racial.

A ação reuniu a coordenadora de Promoção da Igualdade Racial, Andrielly Hamonna; e Rafael Gomes, coordenador da Diversidade Sexual, ambos da da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas).

“Nossa proposta tem sido pela criação da comissão para que possamos debater e encaminhar demandas para as secretarias municipais e se organizar para a Conferência Municipal do próximo ano”, colocou Fábio Rogério, assessor de Políticas Sociais.

Com a formação do Conselho, pautas segmentadas poderão ser encaminhadas para efetiva aplicação das políticas públicas, assim como o surgimento de Projetos de Lei voltados para a igualdade racial.

Em um dos encontros, Fábio Rogério discutiu com a ativista Arisia Barros as estratégias desenvolvidas para substanciar a formatação do Conselho Municipal da Igualdade Racial.

“A questão racial não é política para Secretaria A ou B, é assunto prioritário e transversal para a construção de um programa substantivo e legal com a participação do chefe do executivo nas tomadas de decisões. Também buscamos a formação de um comitê interno para que as pastas se entrosem sobre o tema e caminhem juntas no processo da desconstrução do racismo”, disse Arisia Barros, na reunião.

Um mergulho na História

A sede do Quilombo Real reúne diversos documentos e obras que contam a história de Zumbi dos Palmares em Alagoas e a referência da cultura negra no Brasil.

No acervo, mantido com todo cuidado pelo professor Edson Moreira da Silva, está o decreto estadual que tornou a data de 20 de novembro em feriado estadual e passou ser o marco das comemorações da Consciência Negra.

A data já existia no calendário oficial, mas o feriado alagoano foi proposto pela Fundação Afonso Arinos para comemorar os 300 anos da morte Zumbi em 1995.
“Foi uma conquista muito grande para a nossa luta, pois tornamos o 20 de novembro em feriado para que todos pudessem conhecer a história de Zumbi, um herói para o povo negro”, disse o professor Edson Moreira.

Entre os marco existentes em Maceió sobre resistência negra, Edson Moreira lembra da criação e inauguração da Praça Ganga Zumba, no bairro de Cruz das Almas. O monumento foi construído em comemoração aos 100 anos da abolição da escravatura do Brasil.

“Maceió tem uma ligação muito forte com as lutas dos movimentos negros e nós queremos reforçar essas ações, buscando o fortalecimento das Secretarias que compõem a gestão do prefeito JHC para transformar a vida da nossa gente”, acrescentou Fábio Rogério.

Ascom SMG