Convênio entre TJ e Ministério da Justiça vai aperfeiçoar sistema de videoconferência em AL

Projeto tem valor de R$ 3,5 milhões; recursos contemplarão 110 salas de videoconferência no Estado

O Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) celebrou convênio com o Ministério da Justiça para aperfeiçoar e ampliar o sistema de videoconferência que interliga varas criminais, delegacias e o sistema prisional do Estado. O projeto tem valor de R$ 3,5 milhões.

O TJAL apresentou proposta para ter acesso aos recursos disponibilizados pela União, sendo a única Corte de Justiça do país contemplada. O Tribunal ficou na quinta colocação entre as dez instituições selecionadas.

De acordo com o diretor de Tecnologia da Informação do TJAL, José Baptista Neto, os recursos contemplarão 110 salas de videoconferência em Alagoas. "A maioria já trabalha com videoconferência, mas os equipamentos são de 2015, 2016, e já carecem de uma atualização tecnológica".

Ainda segundo o diretor, os equipamentos novos vão auxiliar as Varas, delegacias e unidades prisionais na realização de audiências com réus presos. "A modernização do parque tecnológico também vai ajudar bastante nas audiências de custódia em todo o Estado", destacou.

José Baptista explicou que, uma vez reservado o dinheiro pelo Governo Federal, o TJAL iniciará processo licitatório para aquisição dos equipamentos e das licenças de software necessários para as videoconferências.

"O Departamento de Patrimônio do Tribunal receberá os equipamentos assim que forem adquiridos e caberá à Diati a instalação nas unidades", explicou.

O convênio, assinado pelo vice-presidente do TJAL, desembargador José Carlos Malta Marques, tem vigência de 24 meses. O projeto envolveu articulação de diversos setores do Tribunal, como Subdireção, Diati, Assessoria de Planejamento e Modernização do Judiciário (APMP), e Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF).

Dicom TJAL